O papel dos programas sociais na inclusão dos jovens no mercado de trabalho

A inclusão dos jovens no mercado de trabalho é uma preocupação fundamental de países em desenvolvimento e com altas taxas de jovens com baixa escolaridade, como é o caso do Brasil. Neste cenário pergunta-se como fazer para incluir esses novos aprendizes no mercado de trabalho tão exigente? Os programas sociais de inclusão são uma prova de como fazêl-lo.

Pronatec

Pronatec (pronatec.inf.br) oferece mais de 500 cursos. Entre os cursos de longa duração, os mais populares são o técnico de segurança no trabalho, Tecnologia da informação, logística, enfermagem e mecânico. Entre os cursos de qualificação profissional, que duram até seis meses, os mais ocupados são Assistente Administrativo, operador de computador, Assistente de Recursos Humanos, eletricista, Inglês Básico e recepcionista.

Todos os cursos são gratuitos e os estudantes também têm direito a livros, uniformes, materiais para trabalhos práticos de aula e refeições e assistência de transporte. O Pronatec procura satisfazer as exigências regionais de formação de mão-de-obra. Na Amazônia, por exemplo, o mais popular é o curso de técnico de computadores, devido à proximidade da Zona Franca. Nas regiões rurais, os cursos vão desde as carreiras de viveiro de plantas e flores, agricultura biológica e grandes máquinas agrícolas e operadores de sistemas de irrigação.

Dos beneficiados pelo Pronatec, 67% são jovens até 29 anos, 59% são mulheres e 28% das matrículas estão no Nordeste.

Cursos do SENAI, SENAC e outros

Em 2015, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e luta contra a pobreza (SEMPS), na sigla original) foi o órgão responsável pela gestão do Pronatec BSM em Salvador, capital do Estado da Bahia.

Outros atores envolvidos na implementação do programa no município incluem o município Labor Intermediation Service (SIMM, na sigla original), vinculado ao Secretário do trabalho Desenvolvimento e Emprego( SEDES, em português), e as instituições de Cursos de BSM Pronatec, como os cursos nacionais Serviço de Educação Industrial (SENAI, na educação Comercial (SENAC), no acrônimo original), e no Instituto Federal da Bahia (IFBA, no acrônimo original).

De acordo com os dados de 2015 sobre a absorção de trabalho e a abertura de vagas de emprego na os sectores econômicos mais representativos,  a economia em Salvador revelou oportunidades potenciais para desenvolver a inclusão produtiva estratégias para as populações mais pobres e vulneráveis, quer através da colocação no mercado, quer através da mercado de trabalho formal, ou oportunidades em empreendedorismo individual ou coletivo.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *