Como funciona o sistema de seleção e avaliação do ensino por trás do ENEM

A avaliação do ensino básico no Brasil tem evoluído favoravelmente nos últimos anos, também se observa a consolidação de uma importante cultura de avaliação após as fortes resistências existentes nos momentos iniciais da implantação no país de os sistemas  avaliativos em grande escala no início dos anos 90. A partir de 2020 com a criação do Enem Digital deve ficar ainda mais fácil fazer o controle desses dados que ajudam na avaliação do ensino básico e médio brasileiro.

Atualmente, quem fizer o exame também pode usar o Resultado do Enem 2020 para entrar em programas do governo de acesso ao universitário. Nos últimos anos tem crescido fortemente a sua utilização também como mecanismo de seleção para o acesso a programas governamentais de bolsas de estudo para o ensino superior (Prouni) e como exame de acesso a estudos de formação profissional pós-secundário e ao Ensino Superior. Em 2006, o número de participantes apresentados foi de 2.803.328 e sua logística mobilizou 263.694 profissionais.

Os participantes foram divididos entre as 114.183 salas, em 5.801 locais de prova de 806 municípios espalhados por todo o Brasil. Os resultados são entregues de forma individualizada a cada um dos participantes e, desde 2005, são divulgados por Estado da federação e por escola e para isso se utilizam, por exemplo, corretores, com o propósito de corrigir possíveis distorções de seleção da amostra.

Como o o Enem é usado para avaliação da educação

Dentro do sistema federal de avaliação do ensino básico, dois grandes procedimentos já foram estabelecidos no Brasil há pelo menos uma década: o Saeb e o Enem. Ambos possuem objetivos e perspectivas diferentes. O ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) é um exame realizado, a partir de 1998, ao final do ensino básico. O exame é feito por inscrição voluntária e é composto de uma única prova que contém perguntas com respostas de múltipla escolha e uma proposta para redação, abrangendo as várias áreas de conhecimento, inclusive nas atividades pedagógicas da educação básica no Brasil. Este exame tem por objetivo oferecer uma referência para que cada cidadão possa proceder à sua auto-avaliação ao final da educação básica.

O Saeb (Sistema Nacional de Avaliação Básica) tem suas origens no final da década de 80, consolidando-se a partir de meados dos anos 90, é atualmente o instrumento tradicional de diagnóstico da qualidade da educação básica no Brasil. É realizada a cada dois anos por meio de um estudo realizado com uma amostra de alunos dos cursos 4º e 8º do ensino fundamental e 3º. curso de ensino secundário. Aplica-Se o teste de múltipla escolha de Língua Portuguesa (Leitura) e Matemática, além de inquéritos realizados a alunos, professores e diretores. Desde 1995 faz uso da Teoria da Resposta ao Item e de um sólido plano de amostragem, conferindo segurança e comparabilidade aos seus